Viva!

1 de setembro de 2014

Colega

Todos nós sabemos de cor e salteado o quanto nossa carreira está sucateada.  Sem o menor respeito pela categoria, o governo não reajusta nossos salários de forma coerente com a correção dos oito anos de defasagem alegando que não pode  oferecer além dos 15,8%.

Como se não bastasse, os EPAs (Escrivães, Papiloscopistas e Agentes) sofrem diariamente perseguições  de todos os tipos. Alguns relatos nos causam grande revolta. O assédio moral impera no Departamento, como se isso fosse demonstração de poder e hierarquia, quando na verdade nada mais é do que o raio-X do adoecimento da estrutura policial e de resquícios de uma ditadura que não deveria existir mais.

Apesar de tudo reforço que o sistema está adoecido, nós não!  Causa-me preocupação quando um colega tem sua vida pessoal afetada por conta dessas situações.

Sinto-me empenhado, assim como todos os diretores, em resolver esses problemas que nos afligem. Não tem sido fácil !  Não é fácil, mas estamos aqui para representá-lo e toda a categoria. Quero que deixe isso conosco, pois a Federação e os sindicatos existem para isso. Trabalhamos para permitir que você viva com tranquilidade.

Enquanto tentamos mudar a instituição, gostaria que você também promovesse mudanças em sua vida particular, na forma de viver. Faça algo que lhe dê prazer. Se conseguir separar o trabalho de sua vida cotidiana e de seus momentos com a família e amigos, estará bem e, estando bem, nos ajudará a vencer a luta por mudanças na PF. Aproveite mais suas horas vagas, seja com um amigo(a) ou com um colega de trabalho.

Converse com pessoas com quem convive e confia. Sempre existe alguém com alguma afinidade. Divida suas dores, angústias mesmo que pareçam sem importância. Tente também conhecer novas pessoas. Relate suas histórias, suas vontades e também ouça o que ele (a) tem a dizer.

Ligue para aquele(a) amigo(a) que há tempos não encontra. Quantas situações diferentes passaram juntos(as)! Muitas vezes a preocupação com o trabalho se torna excessiva e nos faz perder o contato com aqueles que realmente são importantes em nossa vida. Não deixe isso acontecer com você.

Marque um churrasco, chame pessoas. Quer momento mais descontraído do que esse? Risos, lembranças, situações inusitadas. Vá  a um cinema, veja um bom filme. Daqueles que você termina de assistir e ainda comenta depois. Aproveite a sessão, viva a história.

Você já percebeu detalhes? Faça aquela caminhada!  Quantas vezes andou por um caminho e nunca reparou naquela árvore, naquela planta?  Faça ao ar livre, deite na grama. Tome sol, ouça o canto dos pássaros, feche os olhos, desligue-se. Esse momento faz com que o coração também relaxe e revigoremos, não somente o corpo, mas também a alma.

Muitas vezes busco coisas diferentes. Um curso novo, talvez. Um lugar que não fui, uma refeição e pratos inusitados, uma busca por músicas da adolescência e que gostaria de ouvi-las novamente. Dançar sozinho no meio da sala.

Precisamos descobrir que todos os dias é uma nova oportunidade mesmo que não pareça. A vida tem muito mais para oferecer do que imaginamos.

Um dia li uma frase que gostei muito. Tempos depois me disseram que pertencia a Charles Chaplin e dizia: “A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos”.

Quero dizer, enfim, para que não desista de você! Não permita que o trabalho tire sua vida e sua felicidade!  Há sempre alternativas. Se quiser falar, estarei aqui, assim como todos os diretores. Se sentir necessidade de conversar e no momento não tiver alguém, quero que me ligue. Se for necessário, irei até você ou um de nós irá. Estamos juntos na luta por uma vida de qualidade.

Jones Borges Leal

Presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais

FENAPEF

 



Outras notícias