Dia histórico para a PF: três policiais assumem cargos hoje na Câmara

1 de fevereiro de 2019

 

Os novos deputados federais e senadores assumem os cargos no Congresso Nacional nesta sexta-feira (1º). Os deputados participam da cerimônia de posse às 10h no Plenário Ulysses Guimarães, enquanto os senadores serão empossados às 15h. Representantes da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) se dividem para acompanhar a agenda da casa e prestigiar os colegas: três policiais federais tomam posse na Câmara dos Deputados. “Estamos orgulhosos por essa conquista que é de todos e para todos os policiais federais brasileiros”, afirma o vice-presidente da Fenapef, Luíz Carlos Cavalcanti.

O policial federal Ubiratan Sanderson (PSL) exercerá seu primeiro mandato na Câmara Federal. Já na sua primeira eleição, conquistou 89 mil votos de confiança da população gaúcha. Sua prioridade é lutar pela modernização da segurança pública e o combate à corrupção.

Já Eduardo Bolsonaro (PSL/SP), policial federal de carreira, recebeu o reconhecimento pelo trabalho como parlamentar com o título de deputado federal mais bem votado da história do Brasil. Ele recebeu 1,8 milhões de votos e conduzirá seu segundo mandato na Câmara.

O agente de Polícia Federal Aluísio Mendes (PODEMOS) também exercerá o seu segundo mandato como deputado federal, segundo a vontade de 106 mil maranhenses.

A carreira também conta com um representante no Senado. Também da Frente de Agentes da PF, o policial Marinho Cunha foi eleito suplente do senador Zequinha Cunha e vai representar seu estado, Pará, em Brasília (DF).

Tanto a Câmara dos Deputados quanto o Senado Federal tiveram uma renovação histórica. Dos 54 senadores que tomarão posse, 46 são novos, com taxa de 85% de mudança. Na Câmara, a taxa de novatos foi de 47,37%. Segundo a Casa, é a “maior renovação desde a eleição da Assembleia Constituinte, em 1986”. Nesta sexta, 513 parlamentares assumem as cadeiras na Câmara.

Para o presidente da Fenapef, Luís Antônio Boudens, o êxito alcançado pelos policiais federais nessas eleições é resultado de um trabalho intenso junto aos próprios servidores do órgão e à sociedade.

“Participamos de um pleito histórico. Elegemos, pela primeira vez, um policial federal oriundo do sindicalismo, justamente do Rio Grande do Sul, que foi o sindicato de policiais federais pioneiro no Brasil. A eleição do Ubiratan Sanderson tem um significado muito importante, porque ele nasceu desse novo sindicalismo, que busca a modernização da Polícia Federal, da reestruturação do quadro e um combate ferrenho à corrupção no Brasil”, analisa Boudens.

Presidentes e mesas diretoras

Logo após a posse, novas reuniões serão imediatamente convocadas nas duas Casas para eleição dos presidentes e das Mesas Diretoras. A expectativa é de que elas ocorram por volta das 18h.



Outras notícias